sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Yamaha RD 350


  A RD-350 foi uma evolução dos modelos DS7 e R5 fabricadas pela Yamaha de 1970 a 1972. Resultante da união tecnológica dessas duas máquinas foi possível o lançamento da linha RD, em 1973, com os modelos 90cc, 135cc, 200cc, 250cc e 350cc, todas refrigeradas a ar.

De 1973 a 1975 foi fabricado o modelo RD 350A e nos anos 1976 e 1977 o modelo DR 350B, que foi descontinuado em 1978 com a chegada da RD 400, que foi produzida de 1976 a 1979.

RD 350 década de 70.
 Também foi a moto pioneira no mundo no uso do quadro de berço-duplo e suspensão traseira mono-amortecido de série. Seu quadro foi o precursor dos famosos quadros Delta Box de alumínio desenvolvidos pela Yamaha, e posteriormente utilizados pelas demais marcas. Vinha equipada com três freios à disco, e rodas de alumínio.
         
Em 1986 passa a ser produzida no Brasil com novo visual e carenagem semi-integral e já em 1987, uma decisão da Yamaha centraliza a produção das RD 350 em nosso país, sendo exportada para o resto do mundo e descontinuada no Japão. Assim, no ano de 1988, ela ganha carenagem integral, discos de freios vazados, suspensão dianteira Showa e um novo nome, RD 350R, adequando-se ao exigente mercado externo.

Em 1991 recebeu sua última remodelagem, passando a contar com carenagem totalmente fechada, no estilo da CBR 600 e Suzuki RGV, ganhando novos faróis duplos, seguindo o mesmo padrão de estilo das FZR.
 

Teve sua produção encerrada para o mercado brasileiro em 1993, sendo que seus últimos modelos foram vendidos até o final daquele ano. Ainda assim, foram produzidas para o mercado italiano, alemão e espanhol até o ano de 1995, quando infelizmente, por pressão das severas leis de emissões de poluentes na atmosfera, saíram totalmente de produção, deixando uma enorme legião de fãs e adoradores órfãos por todos os cantos do planeta. 

1984
 
1989


     A RD 350, seja qual for o ano, sempre foi cercadas de muitas lendas e histórias, muitas delas infelizmente a depreciavam, como foi o caso do apelido "Viúva Negra". Este apelido se deve à grande ineficiência dos freios das RD´s 250/350 anos 70, que povoavam as ruas brasileiras, importadas entre 73 e 76. Seus enormes freios a tambor e posteriormente disco simples na dianteira eram ineficientes para frear uma moto que atingia com extrema facilidade, velocidades de 180 km/h. Não diferente também o fato dessas motos entregarem toda a sua potência quando o motor atingia seus 5000 / 6000 giros. Isto tinha um efeito devastador sobre a grande maioria dos pilotos inexperientes da época, que não usavam nenhum equipamento de segurança, principalmente o capacete cujo uso não era obrigatório naquele tempo. Mesmo assim as RD 350LC, apesar da grande evolução do seu sistema de freios e utilização de pneus com melhor aderência, herdaram o apelido.
 


1992


Seu motor 2T produzia 55cv e sua velocidade máxima era de 199 km/h. Sua aceleração de 0 a 100 km/h era de 6 s, e seu consumo médio na cidade ficava entre 12 e 14 km/l.

Extremamente veloz, sua principal concorrente no Brasil era a Honda CB 750. Não raramente aconteciam disputas para ver quem era a mais rápida, disputas essas sempre apertadas, não dando muita margem nem para RD 350, nem para CB 750 se julgar absoluta sobre a outra. Porém, dada a facilidade do motor 2T em se extrair potência, as RD 350 "envenenadas" acabavam por vencer a grande maioria das disputas.

Enfim, é inegável que esta foi a mais esportiva das motos de série já produzidas. Não obstante isso, podemos deixar de chamar a RD 350 de moto, para citá-la simplesmente como MITO!
 

2 comentários:

Edson Luiz disse...

Essa moto povoou o sonho do muitos garotos(as) e jovens das décadas de 80 e 90,é paixão mesmo e isso acaba ficando hereditário. Aqui em casa tenho duas filhas e um filho... e claro 4 RD 350...Todos são apaixonados.

Thiago Racer disse...

Legal Edson! a moto tem este poder de aproximar ainda mais as pessoas, ótima história. quando quiser mostrar sua máquina envie fotos que publicaremos aqui. abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...