terça-feira, 18 de julho de 2017

Indian Scout Bobber 2018

A norte-americana Indian apresentou mais um modelo da marca, um nova vertente da linha Scout. A Scout Bobber tem estilo mais moderno e é uma “customização de fábrica” da clássica Scout. O estilo Bobber tem como principal característica os para-lamas e curtos e poucos cromados. Deve chegar ao mercado no final deste ano. 

O novo modelo tem suporte de placa lateral instalado do lado esquerdo e rodas com novo design de oito raios. Na paleta de cores oferece foscas preto, bronze e cinza e brilhantes preto e vermelho. A versão Bobber tem o mesmo motor V2 de 1133 cc e o mesmo padrão ciclístico da Scout, lançada em 2014.

A Bobber também tem, entre outros itens exclusivos, assento em couro marrom escuro e não caramelo como o da Scout. As pedaleiras foram recuadas em 38 mm, tornando a posição de pilotagem um pouco mais esportiva, e o guidão “tracker” ficou mais reto.







segunda-feira, 17 de julho de 2017

Krugger THIVERVAL

O customizador belga Fred Krugger apresentou a Thiverval, sua versão pessoal da cruiser XDiavel da Ducati. O modelo faz parte de um programa de customização da própria marca que já teve a versões de Roland Sands e do próprio Centro de Design da montadora italiana, a draXter.
A Thiverval mantém o motor inalterado, mas o quadro foi integrado acompanhando as linhas da moto para simplificar o design da XDiavel. O farol dianteiro permaneceu o mesmo enquanto o tanque e o banco foram redesenhados e pintados com diferentes acabamentos de preto e cromado. O assento ainda incorpora o sistema de escapamento.
A Thiverval tem o mesmo nome, em homenagem, a um pequeno circuito os arredores de Pari. Foi apresentada no último dia 1 de julho, no Bikers Classics 2017, que aconteceu no Circuito belga de Spa-Francorchamps.






terça-feira, 27 de junho de 2017

Zanella

Nos últimos anos temos visto as palavras vintage/retrô em diversos segmentos incluindo o motociclismo. Diversas marcas renasceram justamente por já possuirem em seu DNA estas características, exemplos recentes são a Indian e agora a Royal Enfield, Zanella entre outras... 
E é justamente desta última que vamos falar hoje, A Zanella é a mais importante fabricante de motos da América Latina fundada há 60 anos na Argentina. Ela começou como uma empresa de produtos metálicos e passou a fabricar motos em 1957 com tecnologia importada da italiana Minarelli. Suas motos foram exportadas para diversos países como Estados Unidos, Cuba, Uruguai entre outros. No Brasil, suas motos foram montadas pela FBM e fizeram sucesso com modelos "off-road" de 125cc. e 200cc. Na verdade, a FBM-Zanella foi a primeira "moto-verde' a chegar ao nosso mercado, ainda em 1973, com fábrica em Cachoeirinha (RS). Atualmente, a Zanella fabrica ciclomotores com tecnologia própria e motos com tecnologia chinesa e tem como destaque uma Custom de 250 cc. denominada Patagônia, nome de um modelo on/off-road já antológico. Recentemente a Zanella incorporou a mais tradicional fabricante uruguaia de motocicletas, a Cibana. Sua proposta é um quanto ousada, seus modelos possuem um visual atraente o que não podemos dizer de sua mecânica que para nós ainda é um mistério.  
Nas fotos abaixo selecionamos alguns modelos da linha Custom / Street com cilindradas que vão desde 150cc até 350cc.











  


segunda-feira, 26 de junho de 2017

GARAGEM: Peças alternativas Honda Shadow 600

Muito  versátil, é muito comum encontrar no mercado milhares de motocicletas modelo Shadow 600 nas ruas do Brasil, se você é proprietário de uma raridade dessa, veja abaixo uma lista de equivalência.
Esta lista é uma Coletânea de experiência dos membros do Grupo Shadow VT Sombra. Este é o resultado das informações de experiência dos membros do grupo. Por favor não compartilhem informações de peças que não foram testadas e experimentadas, pois isto acarreta prejuízo aos colegas.
Cabo do velocímetro: TITAN, DAFRA KANSAS 150 “SCHERER”. NX400 FALCON, CB 450 DX. ORIGINAL SHADOW 600 NÃO É CARO.
Carburador: Parafusos de ajuste da mistura: TWISTER.
Gicle de Baixa: NT 650.
Agulha da Boia : CBR 600, CBR 900, DT 180, VIRAGO 250.
Bomba de combustível: KADETT.
Reparo do cilindro mestre (Burrinho do freio): TWISTER, 150ccTITAN
Rele de partida: ESTRADA, TWISTER, NX400 FALCON, TITAN 150.
Relação: Corrente KMC, CIC. Coroa da CB 500 VAZ, PINHÃO VAZ 15 dentes ou 17 dentes.
Relé do pisca: TWISTER.
Sensor pedal descanso: TWISTER.
Filtro de combustível: FRAM 8mm, BROS de 9mm reto. (+ braçadeiras)
Filtro de ar esportivo Made in USA: Marca K&N. para melhor desempenho e durabilidade: 50.000 Km. Não precisa substituir é só lava-lo.
Filtro de ar: papel Adaptar: NXR BROS 125,NXR BROS 150, GM CELTA.
Filtro de ar: papel: Adaptar: FORD FIESTA.
Escapamentos: Anéis de vedação:
Cilindro dianteiro maior: CB400.
Cilindro traseiro menor: TITAN 150
Suporte do cabo do velocímetro: CB 450 DX
Interruptor do neutro: NX400 FALCON
Interruptor de freio traseiro (cebolinha): TWISTER, CG TITAN.
Interruptor da embreagem: CG 125, 150 2000, CB 300R.
Alavanca de embreagem (oring) YBR.
Vela de ignição “NGK DPR8EA-9″:
Flexível do freio: TENERÉ (ORIGINAL)
Tampa do radiador 1.1 bar: BONGO da KIA, RANGER V6 95 A 03 RANGER 2.5 GAS 97 A 01.
Filtro de óleo: PALIO FIRE 1.1 MAHLE OC 259, FRAM PH 5949
Rolamentos: Melhor comprar em casas especializadas. Bem mais barato.
Rolamento da roda dianteira: código universal 6004: NACH, NSK.
Coxim da Trazeira: DO PASSAT NACIONAL.
Bateria: XT 600 (polos invertidos). Preferência Yuasa.
Regulador elétrico: (CDI), CB 400 Magnetron.
Disco de embreagem: CB 400, NX FALCON CB 500 Fischer. fazer 250 original
Termostato Radiador: sensor temperatura 37760-mt2-003 100 0n 85 0n CB250 CB400 CB500 CB600 CB900 CB1000 CB1300
Válvula Do Termostato: CB 500, SADOW 750, HORNT.
Retentor de bengala: Marcas: ATHENA, CORTECO.
Caixa de direção: TWISTER
Rolamento Caixa de direção: FALCON, SUNDOWN STX 200
Cabo de vela: TWISTER, CBX450, CB 500, CB600. FUSCA., GOL 16 VALVULAS ANO 2000.
Pastilhas de Freio: Preferência marca: COBREK, RACYNG.
Tampa do Tanque de combustível: TITAN 150. Levar ao chaveiro para adaptar chave original.
Parafusos de regulagem de ar do carburador da twister e da tornado são idênticos aos da shadow.
As mangueiras do radiador: mangueira inferior do radiador, Gol CHT 1.0/1.6 86-96”
Regulador de voltagem: Falcon
Escovas de Arranque: Shadow 750, 1100, VTX 1300, VULCAN 800.
Retentor da haste da embreagem similar: Da titan 1 mm menor mais da certo.
Diodo de silício: CB 500 FOUR.
Referência de Tinta para pintura da Shadow roxa: Cor da tinta: P23M.
Para melhorar a luminosidade do velocímetro: PODE SUBSTITUIR A LAMPADA POR UMA FITA DE LED COM 4 OU 5 LEDS E TERÁ UM EFEITO ESPETACULAR.
Para alongamento de bengala 10 cm guidom original: CABO VELOCÍMETRO CBX 750 INDY E FLEXÍVEL DE FREIO DA VIRAGO.



Lembramos que estes dados são um conjunto de experimentos de várias pessoas ao longo do tempo que produziram resultados posittivos.
Um pouco da história dessa lenda

Modelos como Kawasaki Vulcan 500 e Suzuki Intruder 800 surgiram para brigar por esse nicho, mas sem muito sucesso.
Aí chegou a Honda Shadow VT 600 e tudo mudou: a moto deu início à popularização das custom japonesas de média cilindrada.
Extremamente confiável e com visual muito bem resolvido, mais bandido do que clássico, a moto sofreu algumas poucas mudanças até sair de linha, em 2005. Basicamente, perdeu um de seus dois carburadores e ganhou cores diferentes a cada ano. Ainda hoje é uma moto bem-vista e cobiçada.
Em 2006, veio a Shadow 750. Também eficiente, mas com desenho corpulento, não emplacou tanto. Em 2009, ganhou injeção no lugar do carburador. E em 2011, sofreu alterações estéticas que a reaproximaram do bem-sucedido estilo esguio da Shadow 600. Na verdade, a Honda apenas trocou a “matriz”: nos EUA, a Shadow 750 existe em quatro versões (todas com a mesma mecânica). A nossa era a Aero e passou a ser a Spirit. Simples assim.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...