quinta-feira, 25 de maio de 2017

PAIXÃO PELA VELOCIDADE! ...


S&S Cycle: UMA HISTÓRIA DE DESEMPENHO COMPROVADO!

Fundada em 1958, S&S Cycles tem fornecido peças de alto desempenho para todas as linhas de Motocicletas Harley Davidson além de outras motos V2 americanas, há quase 60 anos.

 Começando com uma simples ofertas de kits pushrod peso leve,  a linha de produtos S&S para desempenho de Motocicletas, veio aumentando ao longo dos anos incluindo sistemas de escape, árvores de cames, carburadores, sistemas de injeção de combustível, kits de Stroker, kits Big Bore, cabeçotes, peças sobresselentes e serviços para motores de motocicleta completas para ambos os V2 antigos e modernos. Todos feitos nos EUA!
A S&S Cycle tem uma vasta história de corridas de arrancada em Bonneville, pistas, e corridas de velocidade em terra. Apresentamos soluções de desempenho para pilotos de todos os níveis, de competição ou não. Nós também oferecemos produtos e soluções de desempenho compatíveis com o controle de emissão de poluentes, que permitem aos nossos clientes desfrutar de uma maior potência e torque de forma legal, respeitando as legislações vigentes e o padrão certificado TÜV  em qualquer lugar do mundo. A S&S Cycles cresceu a ponto de ser um dos nomes mais confiáveis e respeitados no ramo de desempenho para motores V2. A quase 60 anos no mercado, e por muitos longos anos a frente, desenvolvendo produtos de altíssima qualidade e tecnologia, conquistando clientes satisfeitos mundo afora.

Você encontra toda linha SS Cycle no site Dark Choppers Brasil com preços e condições incríveis! VEJA AQUI 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

SWM Motorcycles no Brasil


As lendárias motos da marca italiana SWM Motorcycles vão desembarcar no mercado brasileiro no segundo semestre de 2017 por meio de um importador oficial. Inicialmente, a marca venderá quatro modelos em uma loja na cidade de São Paulo. Duas motos com estilo clássico com motor de 440 cm³ e outras duas voltadas para o estilo Off Road. Importadas, os preços das motos devem partir de R$ 25.000.
Famosa nas competições Off Road na década de 1970, a italiana SWM (Speedy Working Motors) encerrou suas operações nos anos de 80. Porém, em 2014, a marca ressurgiu com o capital do empresário chinês Daxing Gong, presidente do grupo Shineray, e o conhecimento do engenheiro italiano Ampelio Macchi, atual CEO da SWM.
Atualmente, as motos são produzidas na cidade de Biandronno, em Varese, norte da Itália. De lá virão quatro modelos para o Brasil importados pela empresa SU Trade, representante da SWM no País. “Iremos importar e vender as motos. A ideia inicial é ter um ponto de venda em São Paulo (SP) e, a partir daí, nomear futuros concessionários”, revelou José Eduardo Gatti, um dos sócios da SU Trade.
Caso a taxa de câmbio se mantenha estável, os preços dos modelos devem partir de R$ 25.000 para a Silver Vase, uma scrambler com motor de 440cc. A Gran Milano, o outro modelo de 440cc, deverá custar R$ 26.000. Já os preços das motos de enduro devem ser R$ 28.000 para a RS 300 R e R$ 31.000 para a RS 650R.
“Queremos vender uma moto confiável, a um preço justo, principalmente nos modelos de 440cc. São motos de nicho, porém acessíveis e fáceis de pilotar”, acredita o empresário brasileiro. Segundo a SU Trade, as motos comercializadas no Brasil são as mesmas vendidas na Europa e nos Estados Unidos. Inclusive já adequadas à nova lei de emissões (Euro IV). 
Motos SWM que virão para o Brasil
Silver Vase 440
 
Pneus de uso misto, protetores de bengala e escapamentos laterais garantem o estilo scrambler da Silver Vase. Seu motor de um cilindro, 445,3 cc, é alimentado por injeção eletrônica e produz 29,9 cv de potência máxima. A Silver Vase tem câmbio de cinco marchas e transmissão final por corrente. Com quadro em aço, pesa 151 kg e usa rodas raiadas de 17 polegadas, na traseira, e 19, na dianteira. Ambas com freio a disco. 
Gran Milano 440
Sobre a mesma base mecânica da Silver Vase, a SWM construiu uma café racer batizada de Gran Milano. Destaque para seu tanque protuberante e anguloso, com capacidade para 18,3 litros. Mais leve (141 kg a seco) e com banco mais baixo do que a versão scrambler, a Gran Milano ainda tem disco de freio em formato margarida e suspensão dianteira invertida. 
RS 300R
Fina e esguia a RS 300R foi projetada para a prática do off-road. Com peso de apenas 111 kg (a seco) é empurrada por um motor quatro tempos de 297 cm³, com refrigeração líquida e potência que pode chegar a 38 cv. Com grande distância livre do solo (300 mm) e banco a 96 cm, a RS 300 R traz suspensão da grife Kayaba com 295 mm de curso e regulagem completa. Freios a disco e rodas em alumínio completam o conjunto ciclístico. 
RS 650R
Estilo radical do fora de estrada e peso de apenas 144 kg (a seco) associados ao motor de um cilindro com 600 cc e refrigeração líquida são os atrativos dessa legítima trail. Seu propulsor é alimentado por injeção eletrônica com câmbio de seis marchas e potência máxima de 54 cv. O conjunto de suspensão oferece longo curso e múltiplas regulagens. Feita para o Off Road, a RS 650R, entretanto, pode receber um kit com espelhos e lanternas e assim ser emplacada e rodas nas ruas.

domingo, 21 de maio de 2017

Médicos sem Fronteiras

Esqueça um pouco do seus problemas, na maioria das vezes são muito menores do que você imagina, sabemos que nosso país não atravessa uma boa fase a muito tempo mas abra um pouco seu campo de visão e tente enxergar o quanto a humanidade sofre com epidemias, fome e guerras. 

Nossa campanha já está no ar! 


faça sua parte ajudando a salvar vidas! Acesse: https://www.msf.org.br/

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Denatran quer proibir motos de usar baú

No dia 27 de abril, o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) publicou a portaria 60/2017, que dispõe sobre das modificações permitidas em veículos. Para quem usa motocicletas, pode aparecer um novo problema, pois no item número 17, a instituição exige alteração de documento para qualquer moto que use “dispositivo de transporte de carga”, abrindo brecha para a exigência de tal modificação em qualquer baú, bauleto ou alforje de motocicleta.

Ao final do artigo, o Conselho explica que por “dispositivo de carga”, enquadra-se qualquer equipamento do tipo baú ou grelha. Em parte alguma o Contran explica o motivo da exigência e nem se os baús pequenos, comuns de serem vistos em motos, serão ilegais sem a alteração de documento. As novas regras passam a valer a partir de 27 de maio. Agora cabe as Associações de Motociclistas (AMO's) e representantes públicos recorrer atrás dos direitos de quem utiliza sua moto. Vamos continuar acompanhando...

fonte: iCarros

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Tretas Motociclísticas

Aqui não é programa de fofocas ou de tragédias alheias mas esta semana o cenário motociclístico está fervendo! Algumas tretas marcaram a semana, uma por um excesso de humor que gerou um certo desconforto pelas redes sociais,Outra por créditos não dado ao artista e a terceira... é uma batalha épica dos fóruns da internet! Como diria Luiz Carlos Alborguetti:   " Todo dia tem uma merda" 

A Primeira é a mais cabulosa, isso por que o cara está sendo perseguido por todos os lados como o Lula foge do juiz Moro. Os Administradores do grupo que foi postado  esclareceram que se tratava de uma zoação mas
nem todos entenderam isso como uma brincadeira pois em nossa sociedade isso acontece a todo momento e é levado muito a sério!
A segunda treta motociclística é algo que já mencionei lá em 2016 (veja aqui) e que agora veio a tona, o "Customizador da globo" ganhou títulos e expôs motos que na verdade eram criadas por uma empresa norte americana que não levou créditos por isso, daí o circo foi armado...

Esta terceira treta não é apenas desta semana e sim de uma eternidade! treta mais antiga que o conflito de Hollister! Pode ou não pode usar o colete de SOA em eventos? hahaha

Agora é com vocês, Qual a maior treta motociclística da semana?
1) "o filho da faxineira não pode ter uma Harley"
2) "O Customizador da globo"
3) colete de SOA "usar ou não, eis a questão"

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Royal Enfield


Já que o assunto do momento é a chagada da INGLESA (Inglesa com caixa alta mesmo! só por que  os Indianos compraram não quer dizer que a marca perdeu suas origens) Royal Enfield no Brasil vamos contar uma breve história sobre a marca que cá para nós, é um luxo puro! ainda mais para os fãs de motos retrô de média cilindrada.

A Royal Enfield foi uma das maiores indústrias de motocicletas da Inglaterra. Começou como revendedora das bicicletas fabricadas pela Edie Company em 1896, que foi adquirida por ela três anos depois.
Assim que se tornou proprietária, a Royal adotou o slogan "Made like a gun" (feita como uma arma) na publicidade de suas bicicletas, a Edie também fabricava peças para os rifles Enfield, que venderam feito água.
O primeiro veículo Royal Enfield foi um triciclo com motor Dedion, que ficou em linha de 1899 a 1903. Com o passar do tempo os modelos foram se aperfeiçoando, tanto que a marca foi pioneira na adoção de corrente na transmissão secundária e cárter seco.
As Bullet monocilíndricas com motor 4 tempos chegaram ao mercado em 1933, nas versões 250, 350 e 500cc. O modelo fez tanto sucesso que até hoje, é um dos destaques da marca Indiana, ops... INGLESA!

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Dodge Challenger SRT Demon 2017


Depois de meses e meses de expectativa - e teasers - finalmente, a Dodge revelou o novo Challenger SRT Demon, o muscle car mais potente já produzido no mundo. Em um show cheio de pirotecnia, os músculos do novo esportivo foram apresentados por ninguém menos do que Vin Diesel, astro da franquia Velozes e Fuirosos. Mas nem mesmo ele, ofuscou o Demon. E prepara-se para a lista de superlativos desse carro.

A começar pelo seu motor: um 6.2 V8 HEMI  produz nada menos do que 852 cv de potência e absurdos 106,4 kgfm de torque. São números bem mais impressionantes que os alcançados pelo Challenger Hellcat, considerado até então o carro de produção mais potente já produzido pela marca, com 717 cv de potência e  89 kgfm de torque. 
     Ambos usam o mesmo V8, mas para equipar o Demon, o propulsor não foi apenas recalibrado. Para alimentar o "demônio", o motor ganhou mais de 25 novos componentes, entre pistões, válvulas, além de um novo sistema de injeção de combustível e um compressor mecânico mais poderoso. Tudo para aguentar uma maior compressão nos cilindros e mais pressão na hora da explosão. É claro que todo esse calor precisou de um sistema de refrigeração mais robusto. O curiso é que o Demon até usa o préprio sistema de ar-condicionado para resfriar o motor. 

       O Demon é o primeiro carro de produção a poder escolher o que vai beber: gasolina premium ou gasolina de alta octanagem, específica para carro de competição. E como faz para aguentar toda essa força bruta e apetite de asfalto? Bem, além de investir em uma transmissão parruda, um novo sistema de suspensão e eixo reforçado, a Dodge lançou mão de toda a ajuda que a eletrônica poderia dar para tornar o Demon passível de ser controlado.  As rodas de liga leve de 18 polegadas e parrudos pneus Nitto NT05R, de 315/40. Esse tipo de calçado garante maior aderência e aguenta o alto giro do motor nas arrancadas. Com todo esse conjunto, ele rápido: pode acelerar de zero a 100 km/h em 2,3 segundos, segundo a Dodge. Desempenho que o coloca entre os carros mais rápidos do mundo.







quinta-feira, 13 de abril de 2017

Indian Chieftain Elite Limited 2017

 
       A Indian Motorcycle lançou uma nova edição limitada, a Chieftain Elite, com 350 unidades numeradas pela fábrica ao preço de US$ 24.499. A edição tem rodas de liga leve com dez raios, 19 polegadas na dianteira e 16 na traseira. A pintura especial recebe novos detalhes cromados, a iluminação continua de LED e o sistema de som conta com 100 Watts de potência. As plataformas são feitas de alumínio.
A multimídia é controlada por meio de uma tela de sete polegadas acionada por uma chave remota que tem ainda bloqueio automático da moto por sensor de presença. O sistema multimídia integra GPS e recursos como controle de pressão dos pneus. O para-brisa é ajustado eletricamente.
O motor é o mesmo Thunder Stroke 111 V-Twin de 1.811 centímetros cúbicos de cilindrada (111 polegadas cúbicas), com torque de 13 kgfm já a 2.100 rpm.




terça-feira, 21 de março de 2017

OUTLET & GARAGE SALE

Me amarro em trazer novidades... 
Nossa página de Garage Sale está de volta e com novidades, Você que está cheio de peça e acessórios ocupando espaço na sua casa poderá vende-los aqui conosco, entre em contato no campo de contatos para melhores informações.
Outra novidade que temos é o Outlat Dark Choppers com PRODUTOS NOVOS e preços baixíssimos! Acesse nosso site e confira esta e outras novidades. 

www.darkchoppersbr.com


segunda-feira, 20 de março de 2017

Indian: Chieftain Jack Daniel's e Roadmaster Classic

E a tribo está aumentando ...
A norte-americana Indian apresentou, nos EUA, duas novas versões de seus modelos. Uma edição limitada da Chieftain com tempero Jack Daniel´s e uma Roadmaster que passa agora a ter a variação Classic, com malas laterais em couro em vez de material rígido.
A associação Indian e Jack Daniel´s acontece há alguns anos. Para 2017, serão montadas somente cem unidade da edição especial. Além da moto com grafismos exclusivos, os compradores receberão uma bandeira norte-americana feita com madeira de barris utilizados pela Jack Daniel´s na produção da bebida.
Todas as unidades serão numeradas. Do lote, somente dez serão vendidas na Europa e África do Sul. O restante fica nos Estados Unidos. A versão tem pintura preto e branco, logos da marca de bebida distribuídos na moto e outros detalhes feitos à mão.
Na variante Classic da Roadmaster, as malas em couro mantém o reforço por baixo do acabamento. O motor é o V-Twin de 1.811 cc. Com 392 kg, a Roadmaster Classic mede 2.656 mm de comprimento.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...